NOTÍCIAS DA ACE

Leilão de desestatização da CEEE-G arrecada R$ 1,8 bilhão de bonificação

Ultima Atualização em 29/07/2022 17:38 horas


União receberá, ainda em 2022, o montante de R$ 1,8 bilhão. A CEEE-G conta com 922 MW de capacidade instalada, distribuída entre 15 usinas hidrelétricas.

Leilão de desestatização da CEEE-G arrecada R$ 1,8 bilhão de bonificação - Foto: Leticia Jardim
Leilão de desestatização da CEEE-G arrecada R$ 1,8 bilhão de bonificação - Foto: Leticia Jardim

O Estado do Rio Grande do Sul promoveu sessão pública da licitação para alienação do controle da Companhia Estadual de Geração de Energia Elétrica (CEEE-G), nesta sexta-feira (29/07), na sede da B3, em São Paulo. Foram alienadas ações, com um valor total de R$ 928 milhões, representando um ágio de 10,9% em relação ao valor mínimo de R$ 836,9 milhões. A vencedora do leilão foi a Companhia Florestal do Brasil.


Uma vez que a mudança no regime de comercialização de energia elétrica e a extensão do prazo contratual adicionam valor ao contrato de concessão, coube ao Ministério de Minas e Energia, junto com o Ministério da Economia, estabelecer o valor mínimo a ser pago pela concessionária, a título de bonificação pelas novas outorgas. De acordo com a Portaria Interministerial MME/ME nº 3, de 2021, a bonificação mínima foi estabelecida em R$ 1,7 bilhão.

Como resultado da operação, a União receberá, ainda em 2022, o montante de R$ 1,8 bilhão, representando ágio de 10,9% em relação ao valor mínimo.


Além de ter participação em empreendimentos de geração de energia elétrica, por meio de Consórcios e de Sociedades de Propósitos Específicos (SPEs), a CEEE-G conta com 922,2 MW de capacidade instalada em energias renováveis, distribuída entre 15 usinas hidrelétricas, 100% de sua titularidade, com destaque para usinas hidrelétricas de Itaúba (500,4 MW), Jacuí (180,0 MW) e Passo Real (158,0 MW).


A desestatização da concessionária de geração do Rio Grande do Sul foi realizada conforme os procedimentos estabelecidos pelo Decreto nº 9.271/2018. Nos termos dessa norma, a União irá celebrar novos contratos de concessão para 13 usinas da CEEE-G, pelo prazo de 30 anos, alterando-se o regime de cotas de garantia física para o de Produção Independente de Energia (PIE). As usinas de Ivaí e Toca, por se submeterem às regras de registro junto à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), não serão objetos de novos contratos de concessão.


A atuação do MME foi decisiva para a viabilização da operação de desestatização. Após a primeira tentativa de alienação das ações da companhia ter sido cancelada em razão do não recebimento de propostas, o MME editou a Portaria nº 642/2022, ajustando as condições complementares para a desestatização, abrindo novos prazos para o Estado do Rio Grande do Sul revisitar seus estudos e promover nova tentativa de venda da companhia.


A desestatização da CEEE-G representa importante medida para trazer mais competitividade e capacidade de investimento à empresa, contribuindo para a geração de empregos e renda para o País.

Assessoria de Comunicação Social

(61) 2032-5620

ascom@mme.gov.br antigo.mme.gov.br www.twitter.com/govminasenergia www.facebook.com/gov.minaseenergia www.youtube.com www.flickr.com/minaseenergia www.instagram.com/gov.minaseenergia/ www.linkedin.com/govminaseenergia/

0 visualização0 comentário