NOTÍCIAS DA ACE

Palavra do Presidente da ACE: Dia Meteorológico Mundial e Muitas Reflexões para com a Engenharia


Nesta semana, precisamente dia 23 passado, tivemos um evento internacional (“Early Warning and Early Action”) à respeito de um mote para que hajam alertas em tempo para a respectiva ação imediata, ou seja, ação imediata ao pressentir evento severo, do tipo tempestades, com ou sem ventos que possam causar destruição. Importante salientar que da área das engenharias dentro do Sistema CONFEA CREA, temos bastante responsabilidade juntamente com o pessoal da multidisciplina Meteorologia: estes fazem a previsão, mas nós, além de ficarmos em alerta de apoio, já devemos ter projetado estruturas (edificações e controle das águas – drenagens e obras afins) o suficientemente resilientes para resistir a estas situações.


A Meteorologia se desenvolve cada vez mais na sua capacidade de previsão pelo avanço da Tecnologia da Informação (soft e hardware) que fazem a capacidade de rodar algoritmos com bastante complexidade e volume de informações cada vez mais rápidos. No entanto, apesar destes meios, que se baseiam em variáveis contínuas, as relações ambientais (morfologia da superfície, relacionamento complexo disto com o ar, por exemplo) fazem toda dificuldade da previsão haja vista serem variáveis aleatórias com estas variáveis de terra, mar e ar. Então, tendo em vista o uso de método determinístico tendo a dificuldade que acomodar um conteúdo estocástico para adaptar este choque de variáveis de natureza diferente, dificulta o acerto completo de uma previsão convencional. Apesar de ser considerada um disciplina da área das exatas (muita Física e Matemática) precisa lidar com as dificuldades da Hidrologia que envolve a natureza da chegada do evento com relação às bacias hidrográficas, a condição da cobertura vegetal, a porosidade/permeabilidade do solo, bem como o grau de umidade deste subsolo. Já existe hoje uma previsão de curtíssimo prazo, mais eficaz.


Presidente da ACE - Professor Engenheiro Civil Roberto de Oliveira Ph.D.
Presidente da ACE - Professor Engenheiro Civil Roberto de Oliveira Ph.D.

A seguir chega-se ao conteúdo de outras temáticas da terra, como a da Geografia (descrevendo as questões do solo, seu uso, por exemplo), da Cartografia (descrevendo o terreno por uma planta, e suas complexidades de retratar a superfície da terra) e suas disciplinas derivadas. Da engenharia se entra com os projetos estruturais – a começar pelo telhado – que devem considerar a posição, orientação e a forma de atuar com relação aos ventos; isto tudo deve ter detalhes de amarração (amalgamento) deste sistema construtivo com as fundações. Em tudo isto deve-se seguir as normas de cada sistema e sua interligação com os demais. Infelizmente, a grande maioria dos acidentes (em eventos meteorológicos severos) com edificações aqui no país se dá por não observar estes detalhes de projeto e execução. Igualmente, quando se fala na infraestrutura urbana, na questão da drenagem mal calculada (tubulação quase sempre abaixo da devida) e pior, que não é mantida sem obstruções advinda do lançamento indevido de lixo urbano (sacos de papel, utensílios domésticos, sofás, geladeiras, por exemplo). Também as ocupações desordenadas em morros sem quaisquer cuidados com a infraestrutura (às vezes, inexistente), resultado da equivocada ou também inexistente Políticas Urbanas relativas à Habitação Social. Nós devemos nos ocupar disto!!!


Associação Catarinense de Engenheiros - ACE

Valorização da Engenharia - Competência & Retidão

Gestão 2020 - 2023

8 visualizações0 comentário