NOTÍCIAS DA ACE

Qualidade, nova definição e Custos de Projeto

Prof Roberto de Oliveira, PhD


Ao setor da construção no Brasil se atribuem muitos problemas tais como ineficiência generalizada traduzida por descontrole dos processos, má qualidade do produto e vícios de todas as naturezas. Até bem pouco tempo, o projeto era uma sucessão de atividades lineares; a Figura 1 mostra que, enquanto todas as fases não estivessem prontas, nenhuma ação visando a melhoria, como por exemplo, a compatibilização de um projeto base com os complementares era possível.


Figura 1: processo linear simplificado
Figura 1: processo linear simplificado

Primeiro por ser impresso em papel, era pouco produtivo, e de pouca precisão superpor uma planta arquitetônica, por exemplo, a outra de estrutura e/ou de instalações. Assim, muitos problemas de projeto, sem contar com uma talvez ou inerente falta de outras qualidades, nem o tempo tomado pela linearidade do processo, continuavam a ser resolvidos “em obra”! Embora contabilize apenas em cinco por cento do custo total do produto, o projeto pode influenciar em setenta por cento dos custos das patologias gerais. Se no PIB os negócios da construção podem influenciar uma média (por baixo) de quinze por cento, os erros de projeto, de quaisquer naturezas que sejam, podem chegar a consumir cerca de dez por cento do PIB.

Com o advento da Engenharia Simultânea ou Concorrente (mostrado na Figura 2), ensejou-se a possibilidade de cruzar ou superpor o projeto principal com os complementares de modo digital, sem gastar papel e com a maior precisão e rapidez possível; e também com a transmissão de dados, os escritórios “já se conversavam” à distância. Neste processo de projeto, um novo conceito fora da visão da graficação convencional: o projeto sendo não somente um desenho e sim um sistema de informações centralizado.


Figura 2: Nova forma e organizar o processo de projeto
Figura 2: Nova forma e organizar o processo de projeto

Com a chegada do BIM, a compatibilização de projetos neste modelo de projeto permitiu que uma obra fosse iniciada mesmo sem ter todos projetos concluídos...é uma longa estória para próximos boletins. E qualificou uma nova função na gestão do processo, crucial pela melhoria da qualidade de um empreendimento: o compatibilizador projetos.

Com a simples centralização com uma nova definição se criou um caminho que pode levar a uma economia muito grande para o país ao trilhar a deslinearização do processo de projeto.


Fonte principal: DeOliveira, R. Qualidade do Projeto in Anais do Workshop de Projetos, Depto de Eng Civil, UFPr, 2005

8 visualizações0 comentário