NOTÍCIAS DA ACE

Toyota vai gastar US$ 13 bilhões com nova bateria de carros elétricos

Nova bateria de estado sólido pode ser a escolhida para substituir equipamentos convencionais de íon-lítio; Toyota quer corte de 30% nos preços de baterias.


FOTO: TOSHIFUMI KITAMURA/AFP
FOTO: TOSHIFUMI KITAMURA/AFP

A Toyota Motor Corp disse na terça-feira (7) que espera gastar mais de US$ 13,5 bilhões até 2030 para desenvolver baterias e seu sistema de fornecimento de bateria, em uma tentativa de assumir a liderança na tecnologia automotiva ao longo da próxima década.


A maior montadora do mundo em volume, que foi pioneira em veículos híbridos gasolina-elétricos com o popular Prius, está se movendo rapidamente para entregar sua primeira linha totalmente elétrica no próximo ano.


Considerada líder no desenvolvimento de baterias para veículos elétricos, a Toyota disse que pretende reduzir o custo de suas baterias em 30% ou mais trabalhando nos materiais usados ​​e na forma como as células são estruturadas.


"Então, para o veículo, pretendemos melhorar o consumo de energia, que é um indicador da quantidade de eletricidade usada por quilômetro, em 30%, começando com o Toyota bZ4X", disse o diretor de tecnologia Masahiko Maeda em um briefing, referindo-se a um próximo modelo SUV compacto.


A empresa também é a pioneira na produção em massa de baterias de estado sólido - uma virada de jogo em potencial para as montadoras porque são mais densas em energia, carregam mais rápido e são menos propensas a pegar fogo. Se desenvolvidas com sucesso, elas podem substituir as baterias de íon de lítio líquidas.


Embora ainda esteja lutando com a curta vida útil dessas células, Maeda disse que não houve mudança na meta da Toyota de começar a fabricar baterias de estado sólido em meados da década de 2020.


“Ainda estamos em busca dos melhores materiais para usar”, afirmou.


Os esforços para produzir baterias de estado sólido em massa fracassaram, pois são caras de fabricar e estão sujeitas a rachar quando se expandem e contraem durante o uso.


A Toyota também planejou usar baterias de estado sólido em veículos elétricos híbridos, como o Prius.


A Volkswagen, a segunda maior montadora do mundo, disse na terça-feira que pode ter que gastar mais para entregar sua transformação planejada para direção autônoma e veículos elétricos.


A empresa alemã, que planeja investir 150 bilhões de euros (US $ 178 bilhões) em seus negócios até 2025, disse repetidamente que poderia financiar essa transição com base nos fluxos de caixa atuais.


Fonte: CIMM

20 visualizações0 comentário